BENEFÍCIOS DO CAFÉ

O hábito de tomar café já conquistou grande parte da população brasileira. Segundo as evidências científicas, doses moderadas (4 a 5 xícaras de 50 ml/ dia), não oferecem riscos ao organismo e possuem diversas propriedades que contribuem para a prevenção de doenças e promoção do bem-estar. Isto pode estar relacionado às elevadas concentrações de cafeína e polifenóis.

A cafeína é uma metilxantina que age no sistema nervoso central, bloqueando os receptores da adenosina. Este último é um neuromodulador que se acumula no cérebro durante o dia, provocando cansaço e indução do sono. Com o bloqueio, a cafeína aumenta a liberação de neurotransmissores, como por exemplo, a adrenalina, a noradrenalina, a dopamina e a serotonina, estimulando assim o organismo. Esses os compostos são responsáveis pela sensação de bem-estar, atuando tanto como “antidepressivos naturais”, quanto ativadores estados de alerta e atenção.

Algumas pesquisas apontam que apenas 2 xícaras diárias de café podem trazer benefícios para a memória, longevidade, saúde cardiovascular e menor incidência de diabetes mellitus tipo 2. Esses eventos podem estar relacionados às elevadas concentrações teobromina e ácido clorogênico. 

Tomar um café quentinho é um grande prazer para quem aprecia a bebida. Entretanto para desfrutar de todo sabor e aroma é importante verificar o selo de qualidade ABIC na embalagem do produto. Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC) avalia e certifica os produtos à venda no Brasil, com foco na pureza, qualidade e sustentabilidade do café. A avaliação ocorre por meio da análise sensorial, atentando-se nos aromas da bebida, grau de intensidade, sabores e amargor. 

Ficou com alguma dúvida? Procure o seu nutricionista para maiores informações e esclarecimentos!

REFERÊNCIAS

Di Nicolantonio JJ, O’Keefe JH. Coffee Is Not a Carcinogen. Mo Med. 2018;115(3):197‐198.

Domene, SMA. Técnica Dietética – Teoria e Aplicações. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

Eric T. Trexler, Abbie E. Smith-Ryan, Erica J. Roelofs, Katie R. Hirsch & Meredith G. Mock (2016) Effects of coffee and caffeine anhydrous on strength and sprint performance, European Journal of Sport Science, 16:6, 702-710, DOI: 10.1080/17461391.2015.1085097

Han, M.A.; Kim, J.H. Coffee Consumption and the Risk of Thyroid Cancer: A Systematic Review and Meta-Analysis. Int. J. Environ. Res. Public Health 2017, 14, 129.

Schmit SL, Rennert HS, Rennert G, Gruber SB. Coffee Consumption and the Risk of Colorectal Cancer. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev. 2016;25(4):634–639. doi:10.1158/1055-9965.EPI-15-0924

O’Keefe JH, DiNicolantonio JJ, Lavie CJ. Coffee for Cardioprotection and Longevity. Prog Cardiovasc Dis. 2018;61(1):38‐42. doi:10.1016/j.pcad.2018.02.002

Poole R, Kennedy OJ, Roderick P, Fallowfield JA, Hayes PC, Parkes J. Coffee consumption and health: umbrella review of meta-analyses of multiple health outcomes [published correction appears in BMJ. 2018 Jan 12;360:k194]. BMJ. 2017;359:j5024. Published 2017 Nov 22. doi:10.1136/bmj.j5024

Atenciosamente,

Tatiana Palotta Minari – CRN 50.979

*Nutricionista formada pela Universidade Federal de São Paulo/ UNIFESP.

*Doutoranda em Ciências da Saúde com ênfase em Diabetes pela FAMERP.

*Mestrado em Psicologia e Saúde com ênfase em Transtornos Alimentares pela FAMERP.

*Pós-graduação em Nutrição e Suplementação Esportiva: da Bioquímica e Fisiologia à Prática pela FAMERP.

*Atendimentos: 1- Clínica Estética e Nutrição; 2- Pelle Medical Center.

*Consultora de Controle de Qualidade e Segurança Alimentar para Restaurantes.

*Contato/ WhatsApp: (17) 981434200.

*E-mail: tatianaminari@gmail.com

One thought on “BENEFÍCIOS DO CAFÉ

  1. Juliana says:

    Oi, eu adoro café, tomo sem açúcar, sinto muito mais os sabores assim. O único problema é quando nao tomo café pela manhã sinto dor de cabeça a tarde.
    Seria viciante?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + oito =

WhatsApp Fale Conosco